sábado, 27 de setembro de 2014

Quais são os seus 10 discos preferidos?

Meu amigo e ídolo carioca, Bernardo Fajoses Barbosa, me desafiou a listar os 10 álbuns que eu levaria pra uma ilha deserta. Puta sacanagem, porque escolher só dez é complicadíssimo pra quem é doido por música que nem a gente. Então listei os dez primeiros que me vieram à cabeça, mas que tivessem algum significado pessoal pra mim. Escolhi, entre os que eu mais ouvi na vida, os que de alguma forma me marcaram e/ou influenciaram. Sem uma ordem específica. Esses álbuns eu ouvi mil vezes, sei de cor todas as letras, a ordem das músicas e tal.

1) From Here To Eternity - The Clash
Eu sou obcecada sim por essa banda. É minha banda preferida. E esse é o disco deles que eu mais ouvi em toda a vida. Ainda escuto direto, nunca tiro do iPod, é quase um mantra pra mim. É uma coletânea ao vivo. O Clash no palco era muito diferente do que em estúdio - e, na minha opinião, melhor. Você sente toda a força que a banda tinha, era uma performance muito intensa, eles davam importância pro conteúdo, pras letras, tentavam passar uma mensagem e conscientizar as pessoas através da música. Eu acho isso incrível. E amo a força punk das músicas ao vivo, as guitarras do Mick Jones, tudo. Sei de cor até as conversas deles com o público nos intervalos das músicas. Acho que é meu disco preferido de todos os tempos. E olha que escolher um só é super difícil.

2) The Libertines - The Libertines 
Eu escutei demais esse disco. Demais mesmo! Minha família ficava irritada quando eu punha pra tocar de novo, pela milésima vez. Nessa fase eu tinha uns 15 anos, e tinha alguns CDs que sempre ouvia muito, no repeat. Além do Libertines, tinha o Franz Ferdinand, os Strokes, os Arctic Monkeys. Mas, não sei explicar por que, esse aqui era o que eu mais gostava. Perdi todos os shows do Libertines no Brasil. Só vi um solo do Carl Bârat no Beco da Augusta, mas não era a mesma coisa. Aí esse ano, quando estava morando em Londres, dei a sorte de ir no show de reunião da banda. E eu chorei de tão emocionada. Foi a nostalgia da parte boa da minha adolescência.

3) Acabou Chorare - Novos Baianos
Meu disco nacional preferido, ganha disparado. Acho uma obra prima. Amo tudo, os instrumentos, as letras, a mistura de música tradicional brasileira com rock e um dos melhores guitarristas que já ouvi (o Pepeu Gomes). Toda vez que escuto esse disco eu fico feliz. Posso estar deprê, tendo um dia péssimo, se escuto isso me sinto melhor. É mágico. E foi um disco que ouvi muito com minha irmã e meus primos, de férias na praia, enquanto a gente se divertia. Somos muito unidos e amigos. Talvez seja por isso que sempre me traga uma sensação boa, porque foi trilha sonora de momentos super felizes da minha vida, com pessoas que amo muito.


4) Californication - Red Hot Chilli Peppers
Esse entrou na lista porque eu sempre ouvi DEMAIS. Desde que eu tinha uns 13 anos e descobri o RHCP. Ele também nunca sai do meu iPod e ouvi o CD tantas vezes que poderia ter riscado. Nem sei explicar por que gosto tanto. Mas se fosse contar os discos que ouvi mais vezes na vida esse estaria entre os 3 primeiros fácil. Acho que só perde pro Clash! Adoro os caras, mas nem é uma das bandas que mais amo. Só que sou viciada no Californication, acho uma obra prima, impecável do começo ao fim. Lindo. Me acompanhou em todas as fases da vida desde o começo da adolescência, sempre fez sentido, sempre teve uma letra com a qual eu me identificasse.

5) There Is Nothing Left To Lose - Foo Fighters
Foi o primeiro CD que eu comprei. Eu tinha 11 anos e gostava de Spice Girls! Ainda gosto delas, podem me julgar. Mas foi assim...eu era criança ainda, só conhecia as bandas de rock que meu pai gostava, os clássicos, tipo Doors, Led Zeppelin e AC/DC. Aí comecei a andar com uma turma mais velha na escola. Eles andavam de skate e ouviam muito rock anos 90, grunge, Pearl Jam e Nirvana. Eles me mostraram esses sons e eu pirei. Eu gostava muito do Nirvana mas não entendia muita coisa ainda. Uma menina que chamava Amanda, que era minha maior inspiração, me falou que o Nirvana tinha acabado porque o vocalista e guitarrista morreu. Mas que o baterista tinha montado uma banda nova chamada Foo Fighters que era muito boa. Ela tinha esse CD, me mostrou e eu gostei demais. E na época eles apareciam muito na TV, no rádio e nas revistas, era uma coisa mais acessível. Foi a primeira banda de rock que eu gostei que não foi influência do meu pai. Aí juntei um dinheirinho e foi o primeiro CD que comprei "sozinha" na vida. Escutei muito, tenho um carinho enorme por ter me aberto portas para centenas de outras bandas. Gravei um EP esse ano e a capa dele vai ser inspirada nesse disco. Me marcou muito esse álbum e o Foo Fighters é até hoje uma das minhas bandas mais queridas.

6) Blind Pigs - Blind Pigs 
Eu amo punk rock e hardcore. Mas quando eu era adolescente eu era obcecada. E essa banda eu acompanhei de perto. Cheguei a conhecer os caras, fui em muitos shows, tinha todos os discos, aprendi a tocar as músicas, sabia todas as letras de cor. Era muito legal poder estar perto de uma banda que eu gostava, ter acesso aos artistas. Eles eram gente fina e sempre conversavam com os fãs. As outras bandas que eu ouvia eram gringas e muito grandes, completamente inacessíveis, ou então já tinham acabado porque eram muito velhas (que nem o Clash). Esse CD é o que eu mais ouvi deles, era meu preferido. Conheci a banda por causa do Rudá Magalhães , meu melhor amigo. A gente tinha 13 anos e tava na sétima série. Muita coisa que eu gosto é culpa do Rudá, ele descobria sei lá como várias bandas e vinha me mostrar. A primeira banda que tive na vida também foi junto com ele. Aprendi muito com esse japonês safado, hahaha (te amo, Lucy).

7) The Donnas - Spend The Night
A prova de que mulher sabe tocar sim e que ainda existe muito machismo no mundo. Essas meninas foram a maior inspiração da minha vida. Eu ainda quero tocar que nem a Allison Robertson um dia. Sempre quis ter uma banda só de mulher. Adoro o estilo delas, as letras divertidas. Esse disco também é um baita elixir contra a deprê, toda vez que ouço me coloca pra cima. Meu preferido delas e provavelmente uma das minhas maiores influências.




8) Ecos Falsos - Descartável Longa Vida 
Essa banda teve uma história parecida com a do Blind Pigs pra mim. Eu descobri eles por acaso e comecei a acompanhar, ia em todos os shows. Eles eram super humildes e acessíveis e de tanto eu ir ver os caras tocarem acabamos mantendo contato e fazendo amizade. Eu amo as letras inteligentes deles. E era muito bom poder acompanhar de perto uma banda que eu gostava tanto. Tive muita sorte na vida, porque todos os ídolos que conheci não me decepcionaram. Eu admirava muito os caras do Ecos e, depois de conhecê-los pessoalmente a admiração e o carinho só aumentaram, porque são pessoas muito boas. Ainda escuto direto esse disco, esse e o Quase (o segundo e último álbum deles). Eu mostrei essa banda pra muita gente, fazia a maior campanha pra eles, divulgava sempre, e uma vez eles tocaram no meu aniversário! O show deles foi o melhor presente que já ganhei. Ainda insuperável! Além disso tive a grande honra de ter o Vinícius Favaretto participando do meu EP. Ele fez parte da última formação do Ecos, me ajudou muito a fazer meu disco e é um dos músicos mais talentosos que conheço.

9) Band of Gypsys - Jimi Hendrix 
Esse disco é uma viagem. Eu ponho pra tocar e parece que fui pra lua, me desligo de tudo e só consigo prestar atenção na música. O Jimi é meu guitarrista preferido. Ele me faz querer tocar guitarra. Ele me faz querer cantar. Sempre que escuto esse disco me arrepio. É ao vivo, é um power trio, é uma coisa muito simples, muito orgânica  e muito humana, sem um monte de produção e retoque, e ainda assim soa perfeito. Os três músicos são extremamente talentosos, o baixista Billy Cox e o baterista Buddy Miles também merecem todos os louros. É uma performance intensa, com muito feeling e soul, e tem muita virtuosidade mas nada de arrogância ou exibicionismo barato. Tem banda que é extremamente competente, os caras tocam pra caralho, mas acho uma chatice. Tipo o Dream Theater. Sem ofensa, é só minha opinião. Acho que tem que ter suingue, alma, me ligo mais em performance e intensidade do que eu habilidade técnica. Mas a Band of Gypsys consegue fazer os dois. É impressionante. Esse é meu registro preferido do Hendrix e eu escuto muito desde que descobri que o disco existia. Comprei na galeria do rock quando eu tinha 17 anos sem nunca nem ter ouvido falar desse power trio dele. Quis comprar porque era um disco do Jimi Hendrix que eu nunca tinha visto antes. Quando fui pro caixa o vendedor falou "Olha, menina, você escolheu bem. Isso aqui é uma pérola, você vai amar". Depois que cheguei em casa e escutei esse CD juro que mudou minha vida. Ainda lembro da minha reação de surpresa e arrebatamento quando ouvi esse álbum pela primeira vez, sentada no chão do quarto, aproveitando que estava sozinha em casa para aumentar o volume o máximo que podia.

10) Monica Salmaso - Voadeira
Fui num show da Monica quando eu tinha 12 anos com a minha mãe. Ela já adorava a Monica, tinha vários CDs e ouvia em casa comigo. Eu gostava muito desse disco em especial. Ela é minha cantora preferida e é maravilhosa, tem uma técnica vocal incrível, é super simpática e sua voz é muito especial, tem um tom único. É diferente da maioria das cantoras de MPB. O repertório dela não é meu estilo de música preferido, não tem nada a ver com os meus roquenrrou, mas me ganha. Sou apaixonada pela Monica. E depois de ver ela ao vivo gostei ainda mais. Ainda escuto muito esse disco. Ele representa um laço bonito com a minha mãe e me abriu a cabeça pra ouvir coisas diferentes. Depois disso comecei a ouvir mais música brasileira, descobri o jazz e o samba e conheci muitos outros artistas maravilhosos.


E você? Quais são os seus 10 discos preferidos?

2 comentários:

  1. Ei, te indico o The Jam... um power trio de respeito! de preferencia o seu último e melhor disco... the gift... para ser amor a primeira vista! aliás, audição! é muito louco! bem tropicalico com soul, psicodelia, mod, pos-punk, black music... tudo tocado com urgência e muita estética crua! eu tenho o vinil... ouvi muito na década de 90. vale a pena! me parece q os Paralamas gravaram uma música deles, desse disco, running the spot.

    ResponderExcluir
  2. Ei, te indico o The Jam... um power trio de respeito! de preferencia o seu último e melhor disco... the gift... para ser amor a primeira vista! aliás, audição! é muito louco! bem tropicalico com soul, psicodelia, mod, pos-punk, black music... tudo tocado com urgência e muita estética crua! eu tenho o vinil... ouvi muito na década de 90. vale a pena! me parece q os Paralamas gravaram uma música deles, desse disco, running the spot.

    ResponderExcluir