quinta-feira, 29 de maio de 2014

GRATIDÃO

Hoje, eu completei dois meses em Londres. E só consigo pensar em uma coisa: GRATIDÃO. Essa é a minha palavra para 2014. Eu sei o quanto sou privilegiada por poder realizar todos os meus sonhos. E estou tão feliz que nem acredito na minha sorte. Preciso agradecer mais uma vez à minha família que me apoiou tanto em tudo que eu sempre quis fazer na vida. Eles são incríveis.Principalmente minha mãe e minha avó. Elas sabem que sem a ajuda delas eu não estaria aqui vivendo tudo isso.

Quero voltar pra casa cheia de histórias pra contar; e podem ter certeza de que cada segundo está valendo a pena. Esses dois meses morando aqui são uma dimensão de tempo muito distorcida. Passou super rápido, parece que cheguei ontem e não quero nem pensar em ir embora. Mas ao mesmo tempo também parece que eu moro aqui há séculos, a saudade aperta às vezes e sinto falta de casa - e, principalmente, sinto falta dos meus. É muito engraçado. Eu só lembrei que era hoje o "aniversário" de 2 meses morando em Londres às 23h, saindo do metrô, a caminho de casa, quando dei de cara com um luminoso que dizia a data e a hora. Pontualidade britânica, né.

E foi uma tremenda coincidência ter passado esse dia "especial" fazendo coisas que eu tanto amo: viajando de trem pra praia com amigos, passando a noite em um parque de diversões (daqueles à moda antiga, com carrinho de bate-bate e barraca de tiro que dá de brinde um urso de pelúcia gigante e coisa e tal, sabem?), chegar em casa com os sapatos cheios de areia, o corpo cansado e a cabeça a mil, explodindo de felicidade. E aí, quando chego na porta do meu quarto, descubro que meu amigo italiano que mora comigo me deu de presente uma bandeira do Brasil enorme. Volto pra sala pra agradecer e ele está assistindo "Into The Wild". Vi o filme junto, me emocionei com a história do Chris McCandless pela milésima vez; pensei um monte de coisa bonita e o que mais bateu forte no meu peito foi isso: GRATIDÃO. Imensa. Por tudo mesmo.

O mundo tem sido muito bom comigo. Espero poder ser boa com ele de volta, ajudar pessoas, transmitir amor, cuidar desse planeta. Ser uma amiga tão boa quanto os meus amigos são para mim - principalmente os novos, que têm me ajudado a viver feliz aqui, a 10 mil quilômetros de casa. Isso tudo pode até soar como melação hippie mas eu juro que é verdade, de coração. E precisei vir aqui, escrever e contar tudo isso pra vocês. Porque "Happiness is only real when shared".

Nenhum comentário:

Postar um comentário