terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Keep calm

Com o lançamento do novo clipe da Valesca Popozuda, pro hit "Beijinho no Ombro" (assiste e chora), voltou à moda aquela frase do cartaz "Keep calm", que já teve todas as versões possíveis tanto em inglês quanto em português e virou camiseta, capinha de celular e mais um milhão de referências de cultura pop e memes na internet. Em seu vídeo incrível, ao lado de uma tigresa de verdade e sentada em um trono de rainha, Valesca canta "Keep calm e deixa de recalque!". A frase do cartaz original é "Keep calm and carry on" ("Mantenha-se tranquilo e siga em frente").

E, se você viajar para Londres, vai ver que toda lojinha de souvenir tem vários objetos com esse tema também (existe até lencinho de papel imitando o clássico cartaz). Mas já parou pra pensar de onde veio essa moda? De onde surgiu a frase, o cartaz vermelho com a coroa e as letras garrafais e por que isso virou febre no mundo inteiro?

O pôster original é inglês e foi criado pelo governo do país no começo da Segunda Guerra Mundial, quando a sociedade inglesa andava aterrorizada por conta do conflito. O material original era composto, na verdade, por três pôsteres diferentes: além do mais famoso de todos, em vermelho, também tinha um azul e um verde, com frases diferentes:


O intuito era acalmar e motivar a população depois da entrada da Inglaterra na guerra contra os nazistas. O cartaz azul diz "Sua coragem, sua alegria e sua determinação irão nos trazer vitória". Já o cartaz verde traz a frase "A liberdade está em perigo, defenda-a com toda a sua força". A coroa do cartaz representava o Rei George VI, que na época estava no poder. Os cartazes foram distribuídos em 1939 e eram pregados em muros, estações de trem, vitrines de lojas e todo tipo de local visível. Mas o mais curioso é que o cartaz que acabou sendo o mais famoso de todos não chegou a ser divulgado na época da guerra.

Justo o vermelho! Ele tinha sido guardado para ser exposto apenas em uma situação de crise ou de invasão mais grave - o que de certa forma aconteceu com os ataques aéreos de bombas nos idos de 1942; mas acabou não sendo lançado. Só foi encontrado mais de 60 anos depois, em 2000, quando Stuart e Mary Manley, donos do sebo inglês Barter Books, encontraram uma cópia no meio de livros velhos. Eles resolveram pendurar o pôster na parede. E aí o sucesso entre os clientes foi tanto que começaram a copiar e vender o cartaz. Deu no que deu: o pôster vermelho de 1939 acabou se espalhando pelo mundo e estampando todo tipo de objeto, além de inspirar diversas versões engraçadinhas pela internet.

Toda essa história foi contada em um vídeo bem legal (mas apenas disponível em inglês) produzido pelo sebo Barter Books - que, aliás, é um espaço fantástico. A loja foi construída em uma antiga estação de trem e é tão linda que morri de vontade de visitar:


E esse trenzinho de brinquedo passando no meio da loja? Demais!

*Esse post contém informações da revista Super Interessante, da Editora Abril.

2 comentários:

  1. Uau! Que legal! Eu estava curioso pra saber de onde raios retiramos esses cartazes.

    Bacana saber que sua origem vem da guerra, vem pra motivar a galera européia com as coisas que estavam acontecendo no velho continente. Uma pena ser na guerra, né? rs

    Super aula de cultura, Bá. Curti. (:

    ResponderExcluir