quinta-feira, 4 de abril de 2013

Rock in Rio 2013 - tá de sacanagem?!

As vendas de ingressos do Rock in Rio 2013 começaram hoje, às 10h da manhã. Exatamente quatro horas e quatro minutos depois, TODOS os ingressos para todos os dias de festival estavam esgotados. E dá-lhe reclamação, xingamento e chororô nas redes sociais. Os ingressos custavam, por dia, R$ 260,00 (inteira) e R$ 130,00 (meia). Agora à tarde já tinha gente vendendo por R$ 500,00 e até R$ 1.000,00!

As queixas argumentavam que o serviço de vendas pela internet não deu conta da demanda, com o sistema caindo e travando toda hora. Conheço gente que ficou mais de uma hora tentando comprar ingresso e que quase quebrou o botão F5 (refresh) do teclado, mas não teve sucesso. Também há casos de pessoas que compraram o "Rock in Rio Card" e tiveram problemas hoje, sem conseguir escolher a data para troca por um ingresso. O RiR card é um vale-ingresso antecipado, que foi vendido antes mesmo de a programação do festival ser divulgada, para depois a pessoa trocar por um ingresso válido para o dia de sua escolha no festival.

A organização garante que as vendas on-line só permitiam a compra de 4 ingressos por CPF cadastrado. Mas, além da grande procura, aparentemente muito cambista e gente "espertalhona" conseguiu burlar essa regra de alguma forma. O site "Comprei e não vou" (que é uma iniciativa ótima, a despeito de quem age de má fé na revenda de ingressos) deve bombar de ofertas pro RiR nos próximos dias.

O RiR será realizado nos dias 13, 14, 15, 19, 20, 21 e 22 de setembro. E, apesar dos muitos problemas nas vendas, a organização teve a louvável iniciativa de não cobrar taxas de conveniência nas vendas on-line. Na minha modesta opinião, isso merece respeito e uma salva de palmas!

Além da patacoada toda com relação às vendas de ingressos, o RiR tem outras características bastante questionáveis, como sua difícil localização e acesso, o fato de os shows terminarem de madrugada e de sua programação contrariar o nome do festival, oferecendo atrações que, de rock, não têm nada. Mas, críticas à parte, a programação para este ano tem sim boas opções. E, para os sortudos que conseguiram garantir seu ingresso, selecionei os maiores destaques da escalação de cada dia do festival:

DIA 13/09 - SEXTA
Palco Sunset: Maria Rita + Selah Sue
Por que esse show vale a pena: A Selah Sue é uma moça belga e branquela. Mas só de ouvi-la você poderia pensar que é uma jamaicana de Kingston. Ela traz o sotaque da ilha caribenha e muitas influências de dub e reggae e também de hip hop para baladas à base de voz e violão. Som delicioso de ouvir.

DIA 14/09 - SÁBADO
Palco Mundo: Muse
Palco Sunset: Offspring, Marky Ramone, Autoramas + BNegão 
Por que esses shows valem a pena: O último disco do Muse é um saco, mas a banda tem uma carreira linda e entregava bons shows lotando festivais e estádios com rock de primeira. No outro palco, dois clássicos do punk rock dos EUA, com o último Ramone vivo; e a dobradinha de rock de garagem e surf music Autoramas com a pegada de black music e hardcore do excelente BNegão, que canta no Planet Hemp e tem uma carreira solo incrível acompanhado pela banda "Os Seletores de Frequência". A parceria funciona bem porque os caras já se conhecem...Bacalhau, baterista do Autoramas, já tocou no Planet também.

DIA 15/09 - DOMINGO
Palco Mundo: Justin Timberlake e Alicia Keys
Palco Sunset: Kimbra + Olodum e Nando Reis + Samuel Rosa 
Por que esses shows valem a pena: Justin acabou de lançar um disco novo e teve a proeza de construir uma carreira solo sólida, respeitosa e duradoura depois de sair de uma boy band bem descartável (o N'Sync..quem lembra?!). Já Alicia Keys é uma autêntica musa, canta demais e ainda é uma exímia pianista, talento que vale apreciar em um mundo de divas pop feitas em laboratório. A australiana Kimbra é a moça que canta o hit "Somebody That I Used To Know" com o Gotye. Ela é talentosíssima...e imagina esse vocal com o batuque baiano do Olodum! Já a dobradinha Nando e Samuel vale porque Samuel é vocalista e guitarrista do Skank e é um grande músico; e porque o ruivão Nando Reis, ex-Titâs e compositor de vários hits da música popular e do rock brasileiros, faz um show incrível.

DIA 19/09 - QUINTA
Palco Mundo: Metallica, Alice In Chains e Sepultura
Por que esses shows valem a pena: Todas as bandas já tocaram no Brasil (o Sepultura é daqui) e já estão velhas. Mas são grandes clássicos do rock "pesado" e fazem um bom show. Pra quem sente falta de rock de verdade.

DIA 20/09 - SEXTA
Palco Sunset: Ben Harper e Donavon Frankenreiter
Por que esses shows valem a pena: ben e Donavon são os hippies chiques do festival. Músicas gostosas de ouvir. Ben tem uma pegada mais rock'n'roll, principalmente em seus últimos discos. É um cara talentoso, que canta bem, toca guitarra bem e ainda é um grande compositor. Sim, é aquele cara que canta "Boa sorte/Good luck" com a Vanessa da Mata...mas, acredite, ele tem muito mais a mostrar. E o Donavon traz um som mais tranquilo, calcado em folk, violão, lual e batidinhas havaianas que lembram o  Jack Johnson. Apropriado para uma tarde no Rio.

DIA 21/09 - SÁBADO
Palco Mundo: Bruce Springsteen e John Mayer
Palco Sunset: Gogol Bordello + Lenine e Moraes Moreira & Pepeu Gomes + Roberta Sá
Por que esses shows valem a pena: Um dos melhores dias do RiR. Bruce Springsteen é uma lenda viva que merece ser respeitado, prestigiado e estar no topo da programação de um grande festival como o RiR. Apesar da idade e da longa carreira, costuma fazer excelentes, longos e enérgicos shows. Tá inteirão e manda bem, na pegada de Paul McCartney e Rolling Stones. John Mayer é um tremendo guitarrista que causa inveja a muitos marmanjos pela sua virtuose ao mesmo tempo em que arranca suspiros das mocinhas pela sua boa pinta e jeito cafajeste. Ele já pegou um monte de famosas gostosonas (atualmente namora a Katy Perry) e seus relacionamentos sempre acabam mal. É o Don Juan da música! Seu show é incrível, ele canta muito bem e faz músicas geniais. Já o Gogol Bordello é uma festa em cima do palco e combina bem com o Lenine, que pra mim sempre lembrou um pirata (podia estrelar qualquer filme dos Piratas do Caribe ao lado do Keith Richards) e é motivo de orgulho dentro da música brasileira. Grande letrista, cantor, compositor e guitarrista - assim como Moraes e Pepeu, que fundaram o seminal grupo "Novos Baianos" e vem acompanhados pela graciosa Roberta Sá, carioca da gema que curte samba e canta muito. 

TODOS OS DIAS DO FESTIVAL:
Rock Street - Mais de 60 artistas por dia vão apresentar atrações musicais, como covers de Beatles, música celta, gaita de fole e rock britânico; dança, com sapateado irlandês que é bem massa (lembra da cena da festa da terceira classe no filme Titanic? É aquilo!); mágica, caricatura, malabares e o escambau.

2 comentários:

  1. Como eu te disse, eu discordo de muita coisa.
    1. " a organização teve a louvável iniciativa de não cobrar taxas de conveniência nas vendas on-line. Na minha modesta opinião, isso merece respeito e uma salva de palmas!"

    Eu já suspenderia as palmas só pelo fato de ter ficado 3 horas, sim TRÊS horas, tentando no site, sendo que eu entrei exatamente quando abriu, nem atrasei nem nada.
    Não acho que quem organiza isso mereça nenhum tipo de palma. É MUITO mal feito. Por que não liberam um dia de cada vez pra compra? Tipo, ingressos pro dia 13, liberados dia 01 de abril. Ingressos pro dia 14, liberados dia 02 de abril.
    Isso diminui o fluxo, e quem acessar primeiro compra, o que é justo.

    De resto, o dia 21, que você disse que é o melhor do festival, é um dia BEM sonolento, pra mim.
    Quando eu vi que ia ter Gogol Bordello, eu ia comprar esse dia, mesmo tendo o resto que eu não gosto, tipo John Mayer, que eu acho ZzZZzZzZ e pior que o JackJohnson. Mas quando eu vi o "+LENINE", desisti. Não tem nada a ver a música. O Lenine é mais MPBzona mesmo, tranquilo e tal. Gogol é performático. O Lenine vai estragar o show, e não me vejam como preconceituoso, mas pra ver Lenine eu vou no Sesc.

    ResponderExcluir
  2. Muito legal o teu blog! Sucesso!
    GK

    ResponderExcluir