sábado, 15 de setembro de 2012

Passeios imperdíveis em São Paulo: gratuitos ou baratos

MÉLIÈS

Se você está na cidade de São Paulo nesse fim de semana, não perca a última chance de ver a exposição do Méliès no MIS! Domingo é o último dia. O MIS (Museu da Imagem e do Som) fica nos Jardins, perto da Avenida Brasil e do Parque do Ibirapuera. Tem estacionamento no local e um ponto de ônibus bem na porta. E o ingresso é baratinho: R$4 a inteira! Aí deixo uma super dica: se você comprar o ingresso pela internet, com hora marcada para visitar a exposição, sai por R$10 mais uma taxa besta de R$01,80 - mas dá direito à sua entrada mais um grupo de até 8 acompanhantes, o que sai muito mais em conta. E ainda por cima libera sua participação na atração mais legal de todas, que só aceita visitantes com hora marcada: montaram um estúdio bem ao estilo Georges  Méliès, com cenário impecável e um baú enorme cheio de fantasias e figurinos. Aí você vai lá com seus amigos, monta um roteiro com os monitores e brinca de ser ator e cineasta, protagonizando e filmando seu próprio curta! É MUITO divertido!!! E, depois, o MIS edita todos os filmes e coloca em seu site.

No resto da exposição, que foi feita em parceria com a Cinemateca Francesa, você pode assistir a dezenas de filmes de  Méliès, com destaque para "Le voyage dans la lune", ou "A viagem à lua", que ganhou uma instalação especial e passa dentro de uma réplica de foguete. Também tem um monte de figurinos, ilustrações incríveis (Méliès era um grande desenhista), um monte de câmeras antigas. Tem que ir!

Pra quem não sabe, Georges Méliès é considerado o pai dos efeitos especiais no cinema. Ele começou como mágico e ilusionista e depois fazia filmes de ficção e aventura, tendo sido pioneiro em muitas técnicas de cinema, como fazer a cabeça do protagonista explodir, ou uma pessoa voar - coisas que na época foram muito inovadoras e chocantes para o público. Méliès era roteirista, diretor, ator, fazia os efeitos especiais, editava o filme...praticamente um bombril do cinema! De 1896 a 1912, fez mais de 500 filmes! Todos mudos e em preto e branco, pois era o que tinha de tecnologia na época - mas, mesmo assim, cheios de efeitos que até hoje parecem complexos na tela. Méliès teve um fim muito triste, acabou falido com a guerra, perdeu seu estúdio de cinema e abriu uma barraquinha que vendia brinquedos em uma estação de trem. E essa história real foi homenageada no livro que virou filme "A Invenção de Hugo Cabret" (que ganhou vários prêmios, incluindo 5 Oscars).




ELVIS EXPERIENCE
A exposição The Elvis Experience já abriu no Shopping Eldorado (em Pinheiros) e vale cada centavo. É enorme (tem 1200 metros quadrados!) e conta com um acervo pessoal gigantesco e inédito do artista, com coisas que nunca tinham saído dos EUA antes (mais especificamente, de Graceland, a mansão de Elvis que fica em Memphis, Tennessee). Saca só o tamanho da coisa:


Mesmo se você não for uma super tiete do Elvis, como eu, vai gostar da exposição. É tudo super bem feito e completo, tem uma área enorme dedicada apenas aos seus filmes, outra com carros e motos do cantor, e UM MONTE de roupas incríveis. Dá pra aprender várias coisas sobre sua vida e sua trajetória que não são fatos muito conhecidos. E, no final, tem uma lojinha que é uma tentação! Cheia de produtos oficiais e autenticados incríveis, mas caríssima. Saia correndo se conseguir, ou então maltrate seu cartão de crédito e seja uma groupie feliz. Tem desde brincos a palhetas, bolsas, camisetas, canetas, um monte de coisas mesmo. E tudo lindo! O ingresso também é caríssimo (preço tabelado de R$100!), mas deixo uma super dica: comprando pela internet, pode sair por R$20 ou R$30, especialmente em dias de semana, com horário marcado. A exposição abre às 10h e fecha às 22h. Comprei o meu para às 21h e, chegando lá, descobri que se pode entrar um pouco antes ou um pouco depois, sem problemas. E a entrada da exposição fecha às 22h, mas não te expulsam lá de dentro, não. Pode ver tudo com calma. E pode tirar fotos! Destaco o espaço que imita a gravadora Sun, é quase uma réplica da original. Vale muito a pena essa visita! E o acesso é fácil tanto de carro quanto a pé. A estação Hebraica-Rebouças é DO LADO do shopping e muitos ônibus param na porta no corredor da Rebouças. A estação de metrô Faria Lima (linha amarela) fica a 15 minutos de caminhada, também.


29ª BIENAL DE SÃO PAULO
Sobram motivos para visitar a 29ª edição da bienal internacional de arte. Primeiro: é totalmente de grátis! Segundo: fica dentro do Parque do Ibirapuera, local cheio de outras atrações interessantes e gratuitas e de fácil acesso. Terceiro: tem um monte de obras legais, para todos os gostos. Destaco a trincheira gigante logo no fim da rampa, chegando ao segundo andar; uma obra em que colchões velhos foram instalados forrando as paredes de um quarto, com alto-falantes dentro de cada um deles. cada colchão foi retirado de uma creche, orfanato ou comunidade carente. Todos pertenciam a crianças pobres, que ganharam colchões novinhos e melhores para substituí-los. Depois, cada colchão velho foi enviado para um médium, ou um padre, ou um espírito do candomblé, enfim, pessoas ligadas à religião e esoterismo, para que analisassem a "energia" de cada objeto e identificassem a criança ao qual ele pertencia. Nos alto-falantes, você escuta a história de cada criança, com a avaliação de cada especialista. E, como os colchões ficam nas paredes, parece que as pessoas estão dormindo em pé enquanto escutam. Instalação incrível! Tem que ver. No último andar, tem um corredor enorme com fotos de um holandês que fotografou pessoas nas ruas dividindo-as em grupos: um quadro só tem mulheres vestindo roupa de oncinha, o outro só tem crianças com roupas cor de rosa; e por aí vai. É muito interessante notar como as pessoas repetem padrões e como tem gente parecida andando pela mesma calçada. Fora que deu um baita trabalhão reunir todas essas imagens. E, ainda no terceiro e último andar (o mais alto), um espaço grande é dedicado ao Arthur Bispo do Rosário, um marinheiro que viveu de 1911 a 1989 e foi internado em um hospital psiquiátrico. Ele fazia muitos bordados e miniaturas (como um navio e um carrossel, por exemplo), alegando que recebia pedidos divinos para expressar sua arte. Bordava muito texto, até placas de serviços, como anúncios de cabeleireiros. Sua obra nunca foi considerada como arte, ele morreu desconhecido, taxado como um artesão regional,  louco e periférico. Dessa vez, recebeu o reconhecimento que merecia. Vale ver as coisas dele, tem até o quepe de marinheiro que usava.


LIBRE
A banda lançou um clipe novo essa semana, para uma de suas canções mais legais: Bem-vindo.


E hoje vão fazer um show no Kitsch Club, bem perto do metrô Vila Mariana, às 19h. A banda está com a agenda cheia para todo o mês de setembro e vale a pena assistir a um show deles. Tem show no sábado que vem, dia 22/09, na Casa de Cultura Chico Science (horário a confirmar) e uma apresentação gratuita no Parque Villa-Lobos no último sábado do mês, dia 29, às 14h30. Aproveite!


GAROTAS SUECAS GRÁTIS
No domingo, dia 16/09, a banda toca de graça na Casa das Caldeiras, na zona oeste. E a censura é livre! Pode entrar até criança. O evento ainda conta com outras bandas e atrações - como um maracatu, começa à 15h e termina às 21h30. A banda já começou a gravar um disco novo, que prometem soar bem diferente do "Escaldante Banda", com referências mais atuais (e menos anos 60 e 70). O segundo disco ainda não tem nome, mas deve ser lançado no começo de 2013. Enquanto isso, eles já tocam algumas das músicas novas em seus shows, estão marcando datas para sua sexta turnê pelos EUA e para a segunda turnê na Europa e, recentemente, deram uma entrevista muito boa para o site Banda Desenhada. Vale a leitura! A banda tem uma formação nova também. Conta, agora, com o percussionista Matheus Prado. No evento de domingo, se apresenta a banda Mel Azul, que toca um rock bem psicodélico e empresta o baterista dos Garotas Suecas, Nico Paoliello. Eles são muito bons!

Nenhum comentário:

Postar um comentário