sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Uma hora e meia de 31 minutos

É verdade: fizeram um filme do 31 minutos! O longa metragem até que é curtinho, dura só uma hora e meia. Entrou em cartaz nas salas de cinema de São Paulo semana passada e agora continua sendo exibido, apesar de a maioria das sessões começarem cedo (por volta das 15h). O filme segue a fórmula do programa de TV chileno (que durava exatos 31 minutos), que foi exibido no Brasil pelo canal a cabo Nickelodeon de 2004 a 2006.



O filme foi gravado no Brasil e é o primeiro do país feito inteiramente com bonecos e fantoches. As dublagens do filme não são as mesmas da versão brasileira do programa de TV e contam com a participação de atores famosos da Globo, como Márcio Garcia, Daniel de Oliveira (que já interpretou o Cazuza no cinema) e Mariana Ximenes, que tem experiência com dublagem (no filme "O Galinho Chicken Little" e no desenho "Sorriso Metálico", que passava na TV na mesma época do 31 minutos original). No filme, o enredo mostra os bastidores do jornal de fantoches e conta o caso de sequestro de Juanín, o boneco branquinho sem olho que é produtor do programa. Ele é raptado e preso em um castelo. Aí toda a equipe do jornal se une para resgatá-lo.

O 31 minutos da TV era uma sátira aos telejornais dos anos 80, só que protagonizado por fantoches, brinquedos e bonecos. Túlio era o "William Bonner" do programa. Eles mostravam reportagens com pessoas de verdade ou fantoches na rua e notícias fictícias, que às vezes eram baseadas em fatos reais. Também tinha um top 10 de clipes musicais que era simplesmente sensacional! Você se lembra das geniais canções abaixo? É uma melhor que a outra:
















E o super herói mais incrível de todos os tempos? O "Super Meia Man" (Tã nã nã nã nãaam)?! Era muito bom!


O 31 minutos conseguia a façanha de juntar, em um só programa, diversão e esperteza. Era tudo genial: os bonecos, os quadros, as músicas, as piadas. Alguns momentos do roteiro, inclusive, pareciam ter sido pensados para os pais darem risada, com um humor mais refinado, irônico e adulto. Proeza que poucos programas infantis alcançam, como algumas coisas exibidas na TV Cultura dos anos 90 (Rá Tim Bum, Castelo Rá Tim Bum, Xis Tudo, Mundo de Beackman etc.). E em alguns quadros era um exemplo de programa educativo e até de bom jornalismo, por mais irônico que isso soe. Pessoalmente, eu prefiro a dublagem brasileira da TV do que a do filme:



Nenhum comentário:

Postar um comentário