quinta-feira, 30 de agosto de 2012

A primeira da classe

Uma menina de 13 anos me fez restaurar a fé na humanidade e na juventude de hoje, que nem o pessoal do Revoltz SP. É a Isadora Faber, de Santa Catarina. Ela estuda em uma escola pública de Florianópolis, chamada Escola Básica Municipal Maria Tomazia Coelho. Esse colégio, como tantos outros da rede pública de ensino no Brasil, apresenta vários problemas. Os alunos não têm uma infraestrutura boa, alguns professores deixam a desejar, com aulas ruins ou mesmo faltas frequentes; tem o esquema de passar de ano sem merecer, uma grade curricular e uma linha pedagógica questionáveis...enfim, tem muito o que melhorar para oferecer um ensino, no mínimo, aceitável.

Só que a Isadora não conseguia aceitar tudo isso calada. Mesmo sendo novinha, ela já tinha maturidade o suficiente para questionar essas coisas e não engolir o que lhe parecia incorreto. Por isso, quis expor os problemas da sua escola publicamente, para tentar pressionar a direção a corrigi-los com mais eficiência e rapidez. Ela montou, então, uma página aberta no Facebook onde divulgava fotos e relatava os problemas. Alguns deles eram portas e banheiros quebrados, quadra esportiva sem pintura, ventilador cheio de fios elétricos soltos e aulas de matemática muito ruins.

Uma das portas quebradas antes de reforma
A página, batizada de "Diário de Classe (a verdade...)", foi publicada no dia 11 de julho. Quanto mais a Isadora ia postando, mais a página ia crescendo e aparecendo - e mais polêmica ia causando. A menina sofreu pressão por parte dos colegas e dos funcionários da escola (bullying!), recebeu críticas e até algumas ameaças. Em uma entrevista, ela disse que até as cozinheiras enchiam o saco, gritando "lá vem a fotógrafa" quando ela entrava no refeitório. Mas a menina não desistiu. Recebeu bastante apoio de sua família e de alguns poucos amigos. E mostra também as coisas boas que a escola tem e faz. Quando a comida da cantina está boa, ela publica uma foto e elogia. Quando arrumaram uma porta quebrada, ela mostrou como o trabalho ficou bonito. Sempre divulga quando um dos problemas denunciou é resolvido.

Isadora conseguiu chamar atenção e acabou aparecendo em jornais locais de Santa Catarina, na Folha de S. Paulo, no portal Terra, no portal G1, da Rede Globo; entre muitos outros veículos de comunicação do país. Hoje, sua página já possui 181.192 fãs. E esse número vai continuar crescendo. Com a repercussão do Diário de Classe, a Secretaria de Educação de Florianópolis se reuniu com a direção e alguns professores da escola para agilizar as melhorias necessárias, tanto na infraestrutura quanto no corpo docente. Depois de toda essa experiência, Isadora decidiu que quer ser jornalista. Por enquanto, incentiva outros jovens a fazerem a mesma coisa em suas escolas e tem uma vida comum de menina de 13 anos: gosta de ficar na internet, torce pro Grêmio (sua família é gaúcha), tem duas irmãs e dois cachorros e curte bandas de rock como Nirvana, Red Hot Chilli Peppers e Guns'n'Roses. Ela parece ser super legal! Virei fã.

2 comentários:

  1. Vi um filme parecido uns anos atrás com uma tal de Barbara Monteiro.....

    ResponderExcluir