segunda-feira, 23 de julho de 2012

Racionais, Criolo, Mallu, Tulipa e VDO

Vai, Brasil! De novo. Mas agora é penta: cinco clipes novos nacionais que são uma lindeza saíram assim, quase ao mesmo tempo, tudo junto e misturado. Assista a todos:

Racionais MC's
O quarteto fantástico da zona sul de São Paulo fez um clipe caprichado para uma de suas músicas novas, "Mil faces de um homem leal (Marighella)". O som remete às origens do Racionais, mais pesado e agressivo, com letras de protesto social. Só Mano Brown canta, em uma letra que enaltece Carlos Marighella e faz um paralelo à luta armada dele contra a ditadura militar no fim dos anos 60 às problemáticas enfrentadas pela sociedade de hoje contra a PM e toda a sujeira do Governo - com imagens da ocupação Mauá, no centro de São Paulo, onde vivem 200 famílias. Marighella foi o maior líder da revolução armada e o responsável pelo famoso assalto ao trem pagador, em 1969. No mesmo ano, ele foi assassinado pelos militares em uma emboscada. No clipe, os Racionais atuam como guerrilheiros da época, simulando uma transmissão na Rádio Nacional invadida. O rapper Dexter também participa do vídeo, que tem imagens históricas reais do próprio Marighella.




Criolo
O rapper paulistano do Grajaú fez um lindo vídeo em preto e branco para a canção "Mariô", do excelente álbum "Nó na Orelha", lançado em 2011. Pra quem não sabe, Criolo tem mais de 20 anos de carreira como rapper e cantor. Além do "Nó na Orelha", seu maior sucesso - que o levou à fama - , ele também lançou um disco em 2006, chamado "Ainda há tempo"; e um DVD comemorando os 20 anos de estrada, "Criolo Doido Live in SP", em 2010. Ele também criou a Rinha dos MC's, batalha entre rappers que existe até hoje e que inspirou outras batalhas de freestyle, como a da Santa Cruz, que revelou o Emicida. O clipe de "Mariô" é uma grande brisa que me pareceu misturar referências de "O Mágico de Oz", MST, boias frias de canavial, chuva de meteoros (!), uma bigorna mágica (!!!) e o próprio Criolo fazendo truques birutas. Mas o resultado final é bem bonito e essa canção tem uma das melhores letras dele (perde pra Grajauex) e um dos melhores instrumentais do disco, produzido pelo Daniel Ganjaman.



Tulipa Ruiz
O segundo álbum da moça, Tudo Tanto, será lançado no dia 30 de julho. Por enquanto, desse disco novo já apareceram duas músicas: a "Dois Cafés", com participação de Lulu Santos; e a "É", que ganhou um clipe chique feito em Londres, com mais de 20 locações, a Tulipa linda e casais na vibe "United Colors of Benneton", valorizando a diversidade e o amor livre. O disco novo da Tulipa sai com apoio do projeto Natura Musical, que disponibilizou o download gratuito para "É" e "Dois Cafés" em seu site. Bacana! Vamos aproveitar. Eu gosto muito do primeiro disco dela, "Efêmera". Mas pirei mesmo, bonito, nessa música "É". O instrumental é muito mais pegada e a letra, muito boa. Gruda bastante na cabeça, achei melhor do que as canções do primeiro disco. Ouvi umas 20 vezes seguidas. E, nessa, fiquei muito ansiosa pra ouvir o "Tudo Tanto" inteiro. Espero muita coisa dele!




Vivendo do Ócio
A banda soteropolitana volta às suas origens com um clipe em alto mar que desemboca na praia para a canção "Nostalgia". Isso depois de fazer clipes em Londres e na Itália e passar um tempão morando em São Paulo. A letra é bem explícita: "Eu só queria tomar um vento na cara. Eu só queria passar um tempo lá em casa. Me deu saudade da Bahia". E o clipe na água é incrível, deve ter dado um trabalhão e uma molhadeira danada pra filmar. Além disso, tem uma piadinha: no último clipe, eles terminam se jogando no mar, na Itália. E, nesse, eles chegam de jangada (!) em Salvador, como se tivessem feito uma jornada pelo Atlântico. A VDO é um belo exemplo de banda de rock nacional com boas letras e um excelente instrumental. Quem curte Strokes, Arctic Monkeys, Kaiser Chiefs e essas bandas indie rock, fique sabendo que os baianos não perdem em nada pra gringaiada toda. O show deles é incrível. Ficadica.



Mallu Magalhães
Muito me intriga que o namoro da Mallu com o Marcelo Camello tenha gerado TANTA polêmica e que, agora, o casamento deles tenha passado despercebido pelo público. Cês não acham muito irônico?! Tudo bem que ela já é "de maior" agora. Mas não vi uma notinha de fofoca sobre isso, enquanto anos atrás a mídia massacrava sensacionalismos baratos pela diferença de idade entre os dois. Enfim. Mallu e Camello se casaram, sim. Já moravam juntos há um tempão, se dividindo entre São Paulo e Rio. E fica óbvia a influência de um sobre o outro em seus últimos discos, principalmente na transformação da Mallu, que de folk Johnny Cash passou pra samba e MPB com um forte sotaque carioca que eu ainda não consegui engolir. O terceiro disco dela, "Pitanga", é o melhor de todos. No palco e nas entrevistas, ela está mudada - pra melhor, também. Bem mais desenvolta, dominando a situação, cativante, madura na fala e na postura, calma e feliz. E, como você já tá careca de saber, ler e ver, mais bonita do que nunca. O clipe de "Sambinha Bom", que saiu semana passada, é tudo isso traduzido pra imagem. A música é muito gostosa, uma das melhores do disco - perde pra "Velha e Louca". Só não entendi a parte ultra brisa dela congelada numa piscina de fumaça. Achei forçado. E repara na aliança bem grossa de casamento que ela usa. Tá, meu bem?



Nenhum comentário:

Postar um comentário