terça-feira, 17 de julho de 2012

Que ano é hoje?!

Há dois dias publicaram um artigo em um site gospel com uma afirmação polêmica do bispo Edir Macedo, da Igreja Universal. Ele orienta seus fiéis a não se casarem com mulheres mais velhas, alegando que isso pode causar traições por parte dos maridos no futuro e problemas de convivência, já que as esposas seriam mais mandonas. Também diz que não recomenda o casamento entre pessoas de raças diferentes, já que nossa sociedade é muito preconceituosa e os filhos de pais de diferentes raças, tadinhos, vão certamente sofrer bullying e ter uma vida miserável.

Acontece que estamos em 2012, segunda década do século 21. E um cara dizer isso a essa altura do campeonato é mais do que ofensivo. É inaceitável! Tudo bem que o site que publicou a notícia é totalmente tendencioso, pertence a um grupo evangélico que segue a Igreja Universal e não é nada profissional ou jornalístico. Isso se nota com erros crassos de português já no título do artigo. Sem contar outras manchetes como "Estilista cristã desenvolve linha de 'maiôs evangélicos' para não marcar o corpo: 'Escolhi me cobrir para glorificar a Deus'". Mas me preocupa muito a influência que um homem como o senhor Edir Macedo ainda tem entre tantas pessoas em nosso país. Milhões de brasileiros são manipulados e economicamente explorados por igrejas como a dele, ainda hoje; e certamente seguirão os conselhos absurdos, sem argumentos sólidos e respaldos que esse senhor divulga.

Muitos vão acreditar que, realmente, essas orientações são sensatas e devem ser seguidas. Não entendem que ele só está propagando o racismo, o machismo e a intolerância ao fazer uma afirmação como essa. E é isso que me deixa puta da vida. Não é a declaração em si, já que o Edir Macedo é notoriamente um babaca sem escrúpulo nenhum e que não tem o meu respeito há anos. Todo mundo sabe o quanto esse cara rouba, explorando pessoas pobres que são manipuladas através da religião. Ele é milionário às custas da fé dos outros. Uma baita hipocrisia. Por isso, não ligo para as besteiras que ele diz. Não tem credibilidade nenhuma, mesmo. O que me deixa de cabelo em pé é saber que tem gente que acredita nele e que segue tudo isso. Aí, sim, a coisa ganha uma dimensão assustadora. O que podemos fazer para impedir tudo isso?

Eu tenho 23 anos. Meu namorado tem 22. Eu sou branca e ele é negro. Talvez o simples fato de a gente existir, manter nosso relacionamento e sermos felizes seja um ato de repúdio e resistência a pessoas como o Edir Macedo. Mas me parece que nossa sociedade ainda tem muito o que evoluir. Infelizmente.

Um comentário:

  1. Acho que todos os homens com quem estive furam essas recomendações do bispo. Mande-me ao inferno, pois dessa "obra" não quero fazer parte.

    ResponderExcluir