segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Lollapalooza no Brasil - restam dúvidas

O festival criado há 20 anos por Perry Farrel, vocalista do Jane's Addiction, chega a São Paulo no ano que vem, depois de se firmar em edições anuais em Chicago (EUA) e de ter sido realizado em Santiago (Chile).

Hoje de manhã aconteceu uma coletiva de imprensa sobre o evento, que foi exibida em tempo real via streaming na internet. Confirmaram o line-up do festival, que para nossa sorte vai acontecer dentro do Jockey Club de São Paulo, como o Telefonica Sonidos; e não na Chácara do Jóquei, como o show do Radiohead. Isso evita grandes perrengues (como banheiros, alimentação e circulação) e lamaçais. Ponto positivo. E a grande sacada: não haverá pista vip. Ponto muito positivo!

As principais bandas confirmadas, como já se suspeitava devido à muita boataria e vazamentos de patrocinadores, são Foo Fighters ( o show mais requisitado do mundo hoje), Arctic Monkeys e o próprio Jane's Addiction. Isso além de MGMT, Foster the People (um dos maiores hypes de 2011), Cage the Elephant, Friendly Fires, TV On The Radio, Skrillex e Thievery Corporation, entre muitos outros ainda. Lindeza.

O Perry pareceu bem desinformado ao comentar sobre os também confirmados Gogol Bordello, que já se apresentou no Brasil antes (o vocalista inclusive morou no Rio de Janeiro) e O Rappa, que é sua atração nacional preferida. Pra ele o Rappa era uma grandissíssima novidade e o Gogol era desconhecido no Brasil. Pfff... Vamos fazer a lição de casa antes de dar coletiva sobre seu próprio festival, Farrel? Eu gosto de você, mas pegou mal. Ponto negativo.

E a surpresa da escalação de bandas foi a musa Joan Jett, acompanhada pelos Blackhearts, que vai abrir os shows dos Foo Fighters na turnê sulamericana e está confirmadíssima pro Lolla Brasil. Ponto muito positivo.
As bandas nacionais confirmadas além do Rappa são os baianos Cascadura e Marcelo Nova, Plebe Rude, velhas Virgens e Garage Fuzz, entre outros. E aí surgiu a polêmica da semana: o Lobão foi convidado pra tocar no Lolla Brasil e recusou (e protestou publicamente), por causa do horário ingrato dos shows nacionais e a diferença de cachê equivalente e tudo mais. Ele até que tem argumentos bem fortes, se a gente analisar como são tratadas as bandas nacionais nos grandes festivais realizados aqui. Vale a discussão.

Pra ver o line-up confirmado e completo do Lollapalooza, clique aqui.

Joan Jett vai tocar no Lolla em São Paulo!
Serviço
Festival Lollapalooza Brasil
Dias 7 e 8 de abril de 2012, no Jockey Club de São Paulo
Informações: http://www.lollapaloozabr.com/info/

Foo Fighters: o show que o Brasil mais quer ver acontece no Lollapalooza
Ingressos
Pessoas que se cadastraram no site do Lolla Brasil até 19 de novembro receberam uma senha para a pré venda exclusiva de ingressos, que começa no primeiro minuto de AMANHÃ, ou seja, a partir da meia-noite de hoje já dá pra comprar. Esses ingressos da pré-venda são passaportes pros 2 dias de festival e custam R$500 a inteira e R$250 a meia. Se não esgotar, lá pro dia 5 de dezembro abrem as vendas normais, também pela internet, mas pode ser que o preço dos ingressos aumente. As vendas pela web são feitas com pagamento por cartão de crédito, só. E tem a famigerada taxa de conveniência, mas ainda não divulgaram o valor. Ponto super negativo.

Diferenças mal explicadas em relação à edição chilena
Outro ponto negativo do festival são as grandes diferenças em relação à edição que será realizada em Santiago dias antes da paulistana. A começar pelo preço dos ingressos: no Chile, o passaporte a preço comum para os dois dias de festival custa o equivalente a R$261,17 (inteira!). E o line-up é diferente. Ok, eles privilegiam bandas locais chilenas lá e brasileiras aqui, mas muitos sentirão falta da cantora islandesa Bjork, que toca em Santiago, mas não vem pro Lollapalooza Brasil. E essas coisas não foram explicadas. Na coletiva, os organizadores do festival argumentaram que, em São Paulo, cerca de 80% dos ingressos vendidos pro festival serão a preço de meia-entrada, e que por isso o preço mais alto se justificaria, já que a bilheteria se baseia no valor promocional. Eu acho isso meio picareta.

Mais informações
A censura do evento é 16 anos. Menores de idade têm de ir acompanhados por um responsável e menores de 10 anos não pagam entrada. Pensei seriamente em levar minha irmãzinha pra ver seu primeiro show de rock, mas duvido que vão me deixar. Hahaha.

Os Foo Fighters tocam em apenas um dos dias de festival, mas ainda não divulgaram a programação entre o sábado e o domingo nem os horários dos shows. Na Argentina, eles vão tocar no festival da cerveja Quilmes (o Quilmes Rock) em dois dias seguidos. Esses argentinos sempre parecem muito mais espertinhos que nós pra show de rock. E tenho dito!

Não vai ter estacionamento oficial do festival no Jockey.

Na pré venda, cada portador de senha só tem direito a comprar 2 passaportes. Os organizadores do Lolla Brasil dizem estar se esforçando para combater os cambistas. Vamos acompanhar. Isso seria ótimo!

Pode parcelar o ingresso em até 3 vezes sem juros. Alô, presente de natal! Aposto que todo mundo já sabe o que vai pedir pro Papai Noel esse ano.

3 comentários:

  1. Bom, lá vai:
    1. O Lobão tem que ver que pra assistir um show dele eu posso ir no SESC Belenzinho.
    2. Uma palhaçada isso de senha. Só falta dizer que eu corro o risco de ficar sem ingresso.
    3. Tá caro pra porra. Se for pra pagar 500 inteira, eu gasto 900 e vou pro Chile. E olha, pra gente estar pensando em ir até o Chile, quer dizer que esse preço é BEM absurdo.
    4. Não ter estacionamento é outra palhaçada, desestimulam os cambistas, aí os cambistas viram flanelinhas e cobram 100 conto pra você parar com o carro na rua.
    5. Alguém avisa esse cara que Rappa é chato bagarai?
    6. Eu queria a BJORK. =(
    7. GOGOL BORDELLO CARALHOOOOOOOO. Desculpem, mas é a melhor banda do lineup. E foi um ABSURDO não estarem no ROCKINRIO.

    Bárbara você é linda mais que demais.

    ResponderExcluir