segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Televisão em guerra

Sou jornalistinha, não tinha como não ligar pro assunto polêmico de hoje: tão rolando os Jogos Panamericanos em Guadalajara, no México. Evento muito importante para o esporte mundial, ainda acaba servindo de termômetro pros resultados que estão por vir nas Olimpíadas (que rolam em Londres no ano que vem). Aí toda a imprensa se mobiliza, faz cobertura especial sobre os jogos e você até enjoa de ler sobre isso todos os dias. Até aí, beleza. O problema é que a maior emissora de televisão do nosso país, a Rede Globo, não está transmitindo o evento, porque a segunda maior emissora do país, a Record, comprou exclusividade de transmissão. Isso não parece muito certo. E não é, mesmo.

Exclusividade de transmissão é uma coisa bem injusta, e quem acaba perdendo somos nós, o público, os telespectadores. Porque, com apenas uma emissora transmitindo um evento desse porte, só temos chance de ver um lado, um estilo de cobertura, uma opinião. Se, com todos os canais da TV aberta brasileira, já temos uma cobertura unilateral e muito tendenciosa em diversos acontecimentos, imagine com um só canal comandando tudo. Errado.

Isso sem contar que a maioria das pessoas que criticam a exclusividade da Record atentam para o fato de que a emissora, ligada diretamente a Igrejas Evangélicas, arrecadaria dinheiro dos fiéis de forma inapropriada e teria comprado a exclusividade do Pan com dinheiro lavado dos dízimos e demais doações das igrejas. Hum...

Lembrei daquela camiseta que vende na Galeria do Rock:


Mas, por outro lado, a Rede Globo, aparentemente em ato de protesto por ter sido cortada dos Jogos Panamericanos, simplesmente não comenta nada sobre o assunto, ignorando sua responsabilidade como maior emissora do país, que deveria sim comentar os resultados dos jogos para informar a população e ajudar a desenvolver a valorização do esporte no país, que só liga pra futebol e só torce pro Brasil na Copa do Mundo. Ainda são poucos os que acompanham e valorizam outros esportes representados por seleções nacionais. Esportes mais alternativos, então, são praticamente desconhecidos por uma maioria maçante da população - você conhece quantas pessoas que sabem o que é rugby, por exemplo?

Isso tudo em um contexto onde os atletas brasileiros estão mandando muito bem, obrigada, se classificando entre os melhores no Pan. Hoje, na classificação geral, o Brasil estava em segundo lugar, perdendo apenas para os EUA. Eu mesma não sou muito fã de acompanhar esportes. Gosto de jogar, não de ficar assistindo. Mas isso não é desculpa para que a maior rede de televisão do país não informe seus telespectadores. A Rede Globo deveria, sim, comentar e divulgar os resultados - que, para nossa felicidade, são muito bons até agora. E ainda podia sapecar a Record ao vivo em rede nacional criticando a exclusividade de transmissão com classe, ao invés de simplesmente se calar e ignorar o maior evento esportivo para o país depois das Olimpíadas e, no senso comum, da Copa do Mundo.

Só até hoje, faltando muito ainda pro fim do Pan, o Brasil já conquistou medalha de ouro em natação e tênis de mesa; de prata em pentatlo e natação e de bronze em tiro e taekwondo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário