quarta-feira, 19 de outubro de 2011

São Paulo, tremei!

CORRAM! Começou hoje (e deve acabar também hoje, porque aposto que vai esgotar rapidinho) a venda de ingressos pro show do Pete Doherty, aquele maluco do Libertines! Vai ser numa nova casa de shows em São Paulo, construída nas instalações de um cinema antigo do bairro da Liberdade. Promete, hein? Esse lugar deve ser muito massa.

Sem mais delongas, compre seu ingresso aqui (sim, eles vendem ingresso pelo Facebook!).

Eu já comprei o meu, agora é torcer pro cara realmente aparecer em São Paulo e fazer o show, porque, né...hahaha!

SERVICINHO pra você:
Quando? 16 de dezembro (sexta), às 22h
Onde? No novo Cine Joia: Praça Carlos Gomes, 82, Liberdade (é perto do metrô, viva!)
Quanto? Pré vendas, a partir de hoje, pela internet. Custa R$ 95 o ingresso, mais taxa de (in)conveniência de R$ 9,50. Compra via cartão de crédito: Visa, Mastercard, Diners ou Elo.
Que mais? O Cine Joia tem censura de 18 anos, chapelaria, área de fumantes e acesso a deficientes

O Pete é tão louco que, na única vez em que os Libertines tocaram no Brasil, no extinto Tim Festival, no fim de 2004, ele não veio. Veio a banda toda, menos ele, enrolado com drogas e problemas com a polícia - tinha acabado de sair da prisão e estava em condicional, na época. Eu tinha 15 anos, não tinha grana e perdi o festival, que foi classe e ainda teve bandas como o Mars Volta. Morri de raiva, nossa (aliás, mãe, se você ler isso, sinta-se um pouquinho culpada! hahahaha)...ainda mais porque logo depois dessa turnê o Libertines acabou de vez.

Olha aí os Libertines, sem o Pete, tocando no Brasil em 2004:



Se liga como a plateia tava animada! NOT! Hahahaha! Quero morrer com esse povo "nem te ligo", enquanto eu, no meio da minha adolescência maldita, fiquei em casa vendo-os pela TV. Ai, ai...

Desde então, Pete montou uma banda chamada "Babyshambles", se mudou pra Paris, quis ser chamado de "Peter" (até parece...) e seguiu em carreira solo. A banda e seus trabalhos solo são muito bons, mas ele não tem o mesmo brilho sem o seu companheiro de aventuras Carl Barât, com quem fundou o Libertines. Depois do fim da banda, Carl também montou um grupo novo, chamado "Dirty Pretty Things", e depois seguiu carreira solo. Mas eles dois separados não dá. E todo mundo sempre torce pela volta dos Libertines, que de vez em quando se juntam pra fazer um show, pro nosso delírio, mas logo voltam a empacar e não retomam a banda de vez. Também vale destacar que a cozinha dos Libertines, com o baterista Gary Powell e o baixista John Hassall, era muito, muito boa. Acho que eles nunca recebem os créditos que merecem.




A formação original da banda
O Libertines ficou famoso de 2002 pra 2003, quando lançaram seu álbum de estreia, "Up the Bracket". Em 2004, lançaram o segundo álbum, intitulado "The Libertines", e aí sim conquistaram o mundo. Suas músicas já foram trilha até do Fantástico, gente! Os dois discos da banda foram produzidos por ninguém menos que Mick Jones, lenda viva e um dos meus ídolos, que era vocalista e guitarrista da minha banda preferida, o Clash. Os Libertines tinham uma grande influência de Beatles, Clash e Oasis. Eles também são uma das minhas bandas mais queridas. Por isso, não dá pra perder o show do Pete, mesmo que ele só toque músicas da sua carreira solo.

Recentemente, o Carl postou em seu twitter que também viria pro Brasil, para tocar com o ex-baterista do Blur, Dave Rowntree. Mas não confirmaram nada até agora.

Um dos discos que eu mais ouvi na vida



Um comentário:

  1. Minha filha, a mãe sempre tem culpa de tudo, já dizia Freud!!
    Para isso que existem terapeutas por ai....

    ResponderExcluir