terça-feira, 6 de setembro de 2011

Em São Paulo, só fica em casa quem quer

Nessa semana de feriado há um milhão de coisas para se fazer na cidade de São Paulo. Principalmente se você gostar de shows. Tem tanto rolê legal que só fica em casa quem quer (ou quem estiver muito, mas muito pobrito mesmo, porque tem show bom até de grátis!). Aí eu resolvi montar uma agendinha, um "guia da Bá", com todos os eventos bacanas dos quais fiquei sabendo. Quem me dera ter um clone essa semana (e uns dinheiros a mais), aí poderia ir em todos.

06/09 - TERÇA (véspera de feriado):

CRIOLO A nova sensação da hypeza, o rapper Criolo - que na real não é nada novo na cena, tem uma carreira de mais de 20 anos e muito respeito, apesar de só ter conquistado a fama agora (!!!) - se apresenta no bacana Estúdio Emme lançando clipe clipe para a viciante "Subirusdoistiozim" (escuta e tenta esquecer o 'parapapapá' depois), além de todo o repertório do álbum "Nó na orelha", o grande causador da fama de Criolo, com a faixa "Não existe amor em SP", divulgada exaustivamente na internet. Parece que os ingressos pra pista já tão esgotados. Estúdio Emme, 21h. De R$ 50,00 a R$ 70,00.




FESTA 4e20 O nome é suspeito, hahaha. Essa festa é bem bacana e toca rock alternativo/moderninho e umas bizarrices de mashups e samples, de Friendly Fires a Michael Jackson. 4e20 na Babylon. Rua 13 de Maio, 409 - Bela Vista. Até 1h30: 20$ seco / $50 consumação. Depois da 1h30: 25$ seco / $60 consumação.

BIXIGA 70 Uma big band inspirada no Afrika 70, grupo que acompanhava a lenda Fela Kuti. Mistura jazz, samba, afrosamba, afrobeat, tambores africanos doidos, música malinké e funk e ritmos latinos. Pra dançar animalmente sem fazer carão! Começa às 22h no Clube Berlin, na Barra Funda. R$ 10 com nome na lista, R$15 seco na porta ou R$35 consumação.



07/09 - QUARTA (feriado nacional - da Independência do Brasil, aliás):

CARAS PINTADAS CONTRA A CORRUPÇÃO Se você aguentar acordar cedo no feriado, pode participar do protesto que já reúne mais de 20 mil pessoas com presença confirmada na página do Facebook. A proposta é retomar o movimento do começo dos anos 90, com jovens de rosto pintado na rua para lutar contra a corrupção no governo brasileiro. A passeata é apartidária e pacífica e começa às 9h da manhã em frente ao MASP, na Avenida Paulista.

08/09 - QUINTA:

MACACO BONG E NEVILTON Duas bandas nacionais muito boas se apresentam juntas no baixo Augusta. O power trio instrumental Macaco Bong, de Cuiabá, acaba de gravar um novo EP e deve apresentar algumas das tão aguardadas músicas novas nesse show. Nevilton é o convidado especial da noite. Ele é também vocalista e guitarrista da banda do interior do Paraná que tem seu nome e mais dois integrantes e faz um som rock'n'roll anos 60 misturado com caipiragem e modernice tudo ao mesmo tempo, com letras em português. Bem boa! Studio SP, 23h. R$ 15 com nome na lista ou R$ 25 na porta.




O TERNO COM TULIPA RUIZ E RAFAEL CASTRO
Com esses três nomes juntos, acho que não tem como dar errado! O Terno é uma banda muito legal, power trio com 3 malucos de São Paulo que tocam música autoral de letras espertas calcado em psicodelias, poesia, o melhor do rock clássico dos anos 60 e 70, MPB e BRock (sinto ecos de Secos e Molhados, Arnaldo Antunes e o começo dos Titãs) e mil referências diferentes de som (reggae, country, tudo misturado). Em setembro o trio faz uma temporada no Berlin, tocando todas as quintas, com convidados especiais. Na semana da pátria, os convidados são ninguém menos que Tulipa Ruiz  e Rafael Castro (sem os Monumentais, mas tá valendo!). A Tulipa estourou no ano passado com o disco "Efêmera", que é realmente muito bom, destacando seu vocal e suas composições. O Rafael Castro é um grande maluco que já gravou um milhão de EPs (todos disponíveis pra download gratuito) e alia um rockzão clássico à mesma pegada de "MPB" do Terno - difícil de explicar, mas fácil de gostar e entender. Ele tem letras fantásticas e engraçadas. Exagerando um tico, eu diria que ele é tipo uma reencarnação de Raul Seixas pelejando quixotescamente pelas terras da música independente de hoje. No bar também tem uma banquinha de discos de vinil para compra, venda e troca. 21h no Berlin, perto da estação Barra Funda. R$ 10 com nome na lista / R$15 na porta / R$40 consumação.



09/09 - SEXTA:

VIVENDO DO ÓCIO A banda soteropolitana muito chique, já citada neste blog, se apresenta em São Paulo com o som que mistura Strokes, Arctic Monkeys, Clash e Los Hermanos. Último update de chiqueza extrema e profundo potencial causador de inveja: esse ano os caras dividiram palco com ninguém menos que a lenda viva Lou Reed (Velvet Underground) na Itália (!!!!!!! PQP VCS). 21h no Berlin. R$10 lista / R$20 porta / R$40 consumação.

TIGER ROBOCOP Festa dedicada aos sons dos anos 90, saudosista e fanfarrona, vai de Nirvana e Green Day aos pagodões da época, tentando resgatar os hits da nossa infância. É organizada pelo jornalista Denis Romani, que manja muito de música boa e comanda o excelente programa de rádio Skataplá, dedicado à música jamaicana e suas vertentes. O programa era veiculado pela extinta rádio Brasil 2000 (que Deus a tenha) e agora permanece sendo transmitido via web semanalmente. A festa começa às 23h no Estação Music Bar - Rua Augusta, 430. R$15 seco ou R$30 de consumação.


10/09 - SÁBADO:

A DESPEDIDA DO ECOS FALSOS Eu não só tenho certeza de que vou nesse show, como também sei que devo sair de lá em prantos, desiludida e deprê. Isso tudo porque chegou ao fim uma das minhas bandas mais preferidas da vida, depois de 10 anos, 2 discos, um livro e diferentes formações. Daquelas que você gosta tanto que tem todos os lados B, as primeiras demos toscas e as gravações mais obscuras, camiseta, adesivo, palheta, ingresso. Daquelas que você sabe cantar TODAS as letras de todas as músicas e ainda cantarola o solo à la David Gilmore. Daquelas que você já viu tanto show que perdeu a conta. Daquelas que você acompanha tão de perto que parece que é stalker psychokiller.  Eu não sei explicar muito bem o quanto o Ecos significa pra mim. Mas, para vocês terem uma ideia, os caras são tão legais que acabam ficando amigos dos fãs. Sempre tão humildes, acessíveis, engraçados, desbocados e sinceros. Influenciaram uma pá de gente (vide o Dorgas, do Rio) e ajudaram a construir uma cena. Tocaram com grandes ídolos da música brasileira, como o Tom Zé, que ainda por cima se declarou super fã deles, e nem assim ficaram se achando posando de estrelinhas. Me deram um show de aniversário (!!!). Me deram uma camiseta e uns brindes da banda em um outro aniversário. Criaram a newsletter mais bizarra e engraçada de todos os tempos. Souberam usar a internet como poucos. Fizeram clipes fodidos sem ter um puto pra gastar. Tocaram pelo Brasil inteiro. Participaram de um reality show na MTV e do programa do Jô Soares (!). Fizeram discos maravilhosos, conceituais sem serem chatos, com letras de dar inveja a qualquer um que preze por conteúdo decente em música. Debocharam. Contaram mil piadas. Definiram o amor e o zeitgeist do século XXI com a tatuável frase "Eu só sou sentimental quando eu me fodo". Pra mim, eles foram um grande exemplo. Imperdível. Tem mais: o show é GRÁTIS. Às 16h na livraria cultura do Shopping Market Place. Mas corre que os lugares são poucos e vai ter fã xiita como eu acampado na porta.




MEDIALUNAS, PÉLICO E DESPEDIDA DA DISSENSO Medialunas é uma dupla sensacional de Porto Alegre, fornada pelo casal Liége (Loomer e Hangovers), na bateria; e Andrio (ex Superguidis), na guitarra. Eles dividem os vocais e fazem um som delicioso, grunge e shoegaze, cheio de altos e baixos com instrumental simples e vocal muito harmonioso. Gravam em casa e contam com a eventual participação da sua gata de estimação, Yoshimi, que teima em miar. O som deles vicia, estou louca pra vê-los ao vivo. Experimenta: http://soundcloud.com/medialunas. Já o Pélico foge do rock'n'roll e mistura vários elementos sonoros e instrumentos incomuns, como sopros, música cigana, romântica, country, brega, sons do leste europeu, letras sobre amor e desilusões, tudo muito misturado, mas sem preocupação de se encaixar numa coisa só. 21h na Casa Dissenso, em Pinheiros. R$ 15 com nome na lista (lista@urbanaque.com.br) R$ 20,00 na porta.

E parece que setembro vai ser um mês meio triste. Além do fim dos Ecos Falsos, também acabou a Casa Dissenso, lugar genial que fica em Pinheiros e mistura loja de CDs, discos, livros, picolés, toyart e outras coisas descoladas a bar, espaço para shows e performances audiovisuais. A casa tinha um selo também, voltado à música experimental e eletrônica, realizou festivais e deu força pra que muita banda independente e/ou alternativa pudesse se apresentar em São Paulo, por mais que não seguisse o estilo musical do selo. Agora a lojinha faz uma super promoção para queimar seus estoques e promove seus últimos shows. Mas em breve será inaugurado o grande Estúdio Disensso, no Pacaembu.


Zumbis! Crimes! Máfia! Surf Music! Velho Oeste! Lindo demais o clipe novo do Rock Rocket. Sinto uma certa inspiração "Tarantina":




ROCK ROCKET E SOULSTRIPPER Duas bandas queridíssimas dessa que vos escreve. Até porque, né, são dois power trios. O Rock Rocket é formado por uns malucos de São Paulo que piram em Ramones, rock simples, sujo e direto, bebedeiras e letras debochadas. Estão lançando um novo clipe, para a música "Shark Attack". Eles costumam fazer clipes muito bons. E, bizarramente, o Noel, guitarrista e vocalista da banda, apareceu no penúltimo videoclipe do Emicida (Então Toma!) e em uma propaganda de carro que vem passando na TV (!). O Soulstripper segue a mesma linha de músicas despretenciosas, mas calca muito mais no blues e tem um guitarrista absurdamente virtuoso, não tem baixo e as letras são um espetáculo à parte (como os versos "não te traí tanto assim, é exagero terminar" e "eu não trocaria um sorvete de flocos por você"). Eles fazem músicas românticas, mas em nada afetadas ou melosas. Ao contrário, soa cafajeste pra caramba, e ainda assim todas as meninas adoram. Nunca vi uma banda nacional e independente ter tanta groupie como eles! Eu mesma sou suspeita, hahahah. Eles acabaram de lançar um clipe muito legal e bem produzido, também, que ganhou espaço na televisão depois de bombar na internet, pra música do sorvete de flocos. O clipe chega a ser uma covardia de tão fofinho, DUVIDO você assistir e não soltar pelo menos um "oooown". Ah, o nome do último álbum deles, "As garotas e todos os problemas que vêm com elas", foi tirado de um artigo que eu escrevi sobre a banda em 2008. Muita lindeza! Começa às 17h no Inferno, na Rua Augusta. R$15 na porta.


Nenhum comentário:

Postar um comentário