terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Mostra de música eletrônica e audiovisual experimental de graça na Casa Dissenso

A Casa Dissenso, inaugurada em 2007 pelo selo de mesmo nome, é um misto de loja que vende coisas descoladas (toy art, CDs, vinis, livros, pôsteres, DVDs) com estúdio, barzinho e espaço para shows, exposições e eventos culturais. Focada em arte alternativa, a casa, localizada no número 747 da Rua dos Pinheiros, realiza atualmente a mostra 1# Dis Experimental, apresentando oito projetos de música e vídeo experimentais.
Com entrada gratuita, o evento começa sempre às 17h, está sendo realizado nos dias 5, 6, 11 e 12 de fevereiro e conta com a exibição de vídeos de vanguarda de artistas como Duchamp e o grupo Fluxux, vídeos de bandas e documentários sobre compositores contemporâneos. Os vídeos exibidos foram selecionados por Agnaldo Mori (da dupla National), Paulo Beto (ZEROUM e Anvil FX), Guilherme Barrella (Peligro) e Márcio Black (Barulho.org). No dia 12, haverá um debate sobre as perspectivas da cena experimental brasileira.
No dia 5 aconteceram apresentações do duo N-1, com performances audiovisuais; de vídeos experimentais selecionados por Agnaldo Mori, da dupla National; da música eletrônica da dupla Notyesus e da banda Interzona.
No dia 6, a casa trazia um clima de sauna seca devido ao calor abafado que fazia em São Paulo e à sala cheia, trazendo entre o público integrantes de muitas bandas alternativas de todo o Brasil, como Fóssil, Macaco Bong e Garotas Suecas. Os vídeos exibidos no dia, selecionados por Paulo Beto, passavam ininterruptamente em telões e TVs espalhadas por todo o segundo andar da casa, onde fica o bar e o espaço para eventos. A primeira apresentação foi feita por Pan&tone (www.myspace.com/panetone), projeto de Cristiano Rosa, músico que toca sozinho batidas eletrônicas alucinantes com técnicas de Circuit Bending, usando uma mesa enorme com muitos dispositivos, fios e botões. A luz colorida e pulsante sobre ele, tocando sozinho no meio da sala coberto por sombras e cor, dava um clima ainda mais psicodélico e futurista.
Depois dele foi a vez da dupla National (duonational.wordpress.com), composta por Agnaldo Mori e Glauco Felix, que se cercaram com três teclados, laptops, sintetizadores, filtros e muitos outros botões, incluindo em seu equipamento um iPad, que, quando tocado pela dupla, foi o grande destaque da apresentação. Agnaldo e Glauco faziam o som parecer literalmente com uma onda, indo e voltando nos tímpanos do público, diminuindo e aumentando em uma fluidez que fazia ritmo e música dos mais estranhos sons eletrônicos. Em um dado momento, quase recriaram o som viajante do helicóptero presente no álbum The Wall, clássico do Pink Floyd. Era como se o som andasse pela sala.
No dia 12, toca Felipe Ribeiro, com seu projeto “F? R!”, e rolam vídeos selecionados por Guilherme Barrella, da Peligro. E, no dia 13, última data da mostra 1# Dis Experimental, toca o duo de eletrônica Henrique Iwao & Mário Del Nunzio, fundadores e diretores do núcelo de música experimental Ibrasotope; e Carlos Issa, músico e artista plástico, apresenta seu projeto Objeto Amarelo. Os vídeos exibidos no dia 12 serão selecionados por Márcio Black, do Barulho.org, parceiro da Casa Dissenso na organização do evento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário